Apresentado no final da nossa temporada anterior, Tudo Bumbo foi um dos pontos cimeiros e mais surpreendentes da nossa programação musical de 2017. Tornou-se, por isso, inevitável que, um ano depois, voltássemos a desafiar Gabriel Ferrandini para continuar algumas das premissas que tão brilhantemente expôs no nosso palco, num concerto fortalecido por uma performance exata e apurada.

Interessado em explorar o contraste entre som acústico e som amplificado, Tudo Bumbo percorreu com apurada minúcia essa linha-fronteira, criando na nossa sala uma gigantesca caixa de som que vibrou e, sobretudo, respondeu como elemento preponderante para um corpo de som permanentemente em agitação pré-colapso.

Importava, pois, voltar a sentir toda esta rara adrenalina de alto impacto enquanto se viaja para novos universos e se procuram novas armas sonoras, novos músculos e novos espantos. Ao longo desta missão, o jazz vai saindo como lastro do corpo de Ferrandini, enquanto um novo organismo contemporâneo vai contaminando a teia de percussões e revelando uma dramaturgia original.

Se se incluem no grupo que esgotou a nossa sala há um ano e saiu do concerto em completa estupefação, perceberão a intensidade do entusiasmo que antecipa esta nova oportunidade de o ver ao vivo.

Teatro Maria Matos, Lisboa
DATAS E HORÁRIOS
terça e quarta → 22h