sicilia

O violista Christophe Desjardins e os irmãos Mancuso convidam-nos para uma viagem pela memória do canto siciliano. Os dois irmãos, emigrantes em Inglaterra na década de 1970, onde trabalharam numa fábrica, foram, pouco a pouco, recompondo uma parte do repertório tradicional da terra onde nasceram a partir da memória e do imaginário deles próprios.
Pelo seu lado, Desjardins tornou-se no primeiro embaixador da obra-prima de Luciano Berio que é Naturale, su melodie siciliane, para viola, voz gravada de um cantor de rua de Palermo e percussão. Nesta obra, a música brota sobre temas sicilianos, mistura com naturalidade fontes populares e música erudita. Berio faz um enxerto musical no ramo da tradição popular: paráfrases, comentários, glosas, digressões livres, são como que estacas embebidas nesse ramo.
O espetáculo alterna canções tradicionais interpretadas pelos irmãos Mancuso, comentários musicais livres de Desjardins, composições de Berio e encontros entre todos os músicos irmanados na comum procura de uma Sicília sempre reinventada.

Desjardins é um violista com um extenso currículo, que estreou obras de famosos compositores contemporâneos como Berio, Boulez, Emmanuel Nunes, Rihm e muitos outros. Da sua extensa discografia constam numerosos registos premiados. Tem tocado várias vezes em Lisboa. Os irmãos Mancuso, depois de emigrarem, como se referiu, voltaram para Itália em 1981. Gravaram muitos discos, compõem para cinema e teatro, têm atuado por toda a Europa, pela América e o Japão, receberam várias distinções, tocaram com músicos italianos da craveira de Enrico Rava, Stefano Bollani, Ricardo Tesi, e outros. Andreu Rico, percussionista espanhol, estudou em Valência e Lisboa, é professor na Academia Metropolitana e colabora com todas as melhores orquestras portuguesas.