Palhaço rico fode palhaço pobre

Estreia no Museu de Lisboa, Palácio Pimenta (antigo Museu da Cidade), em Lisboa, no próximo dia 31 de março “Palhaço Rico Fode Palhaço Pobre”, de João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira, um espetáculo co-produzido pela BoCA (Biennial of Contemporary Arts), Teatro Municipal do Porto – Rivoli e São Luiz Teatro Municipal. O espetáculo fica em cena em Lisboa até ao dia 2 de Abril e depois é apresentado no Porto, na Praça D. João I, nos dias 7 e 8 de Abril.

Para este espetáculo, a dupla de artistas João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira recorre ao imaginário circense para elaborar uma parábola absurda sobre a diferença, o estigma, a normatividade, a discriminação e os limites do convencional, partindo de dois filmes essenciais para a construção do seu imaginário em torno do circo – “Freaks” (1932) de Tod Browning e “Os Palhaços” (1970) de Federico Fellini.

Quer a dúbia duplicidade da categorização de “freak” exposta por Browning, quer a proposta de Fellini de uma visão do circo enquanto metáfora da vida, são aqui apropriadas e contextualizadas numa sociedade actual onde, tal como o título indica, se utiliza a clássica divisão entre palhaços ricos e pobres para falar de um contexto económico de crise.

O circo pelo seu caráter comunitário e nómada, com uma estrutura e vivência muito própria, apresenta-se como um último reduto de resistência à assimilação pela economia capitalista que caracteriza a sociedade ocidental. Movendo-se nas franjas da sociedade dita global responsável pela massificação de políticas económicas e organizações sociais cada vez mais ingerentes e normativas, o circo continua a ser uma metáfora de tudo o que é considerado diferente e desviante, sendo esse um dos temas centrais do espectáculo “Palhaço Rico Fode Palhaço Pobre”.