Este ano temos mais razões para BEJA ser a cidade dos contos.

Na sua décima quarta edição, as Palavras Andarilhas regressam ao Jardim Público de Beja entre os dias 24 e 28 de agosto e voltam a afirmar-se como aquele lugar onde UM OUTRO MUNDO É POSSÍVEL – não fossem elas filhas da Utopia.

Desde 1999 que elas se assumem como um encontro de reflexão em torno da promoção da leitura e da narração oral e reúnem em Beja educadores, mediadores de leitura, escritores e ilustradores, narradores orais e artistas, entusiastas e curiosos para quem as artes da palavra, nas sua versão escrita e oral, são razão para crescer e celebrar.

Promovidas pelo Município de Beja, as Palavras Andarilhas dirigem-se a mediadores de leitura nacionais e estrangeiros. Ganharam a dimensão de uma FESTA em torno da palavra contada, lida, com um carácter generalista, dirigindo-se cada vez mais a uma maior diversidade de públicos que buscam em Beja uma experiência cultural centrada na palavra, na memória e no património.

Numa edição alargada, o programa deste ano tem como temas de fundo o maravilhoso na tradição oral, a mediação da leitura na infância e na juventude, sublinhando alguns géneros menos discutidos e que parecem constituir-se como boas ferramentas para os mediadores: a poesia e a microficção. As conferências e as oficinas possibilitarão algumas horas de trabalho e partilha com escritores e especialistas de muitas artes da palavra: figuras de referência como Maria Teresa Andruetto, Evélio Cabrejo Parra, Afonso Cruz, João Pedro Mésseder, Rodorin, António Fontinha, Corália Rodriguez – entre mais de 50 convidados.

A instalação de Mafalda Milhões dá o mote: UMA CASA ONDE CABE TODA A GENTE! – porque as Bibliotecas, os Teatros, as Escolas e os Jardins são casas onde cabe toda a gente!


Festival de contos do MUNDO – Quando as palavras chegam de toda a parte !

A cidade recebe a primeira edição do Festival de Contos do Mundo, aposta do Município que se pretende anual, desenvolvido em parceria com a Ouvir e Contar – Associação de Contadores de Histórias, e que oferece uma programação aberta a todos os que dela quiserem desfrutar. Um belíssimo remate para as férias! A palavra na sua expressão multicultural estará presente em dezenas de sessões de contos, exposições e espetáculos.

O I Festival de Contos do Mundo terá o coração no Jardim Público e no Centro Histórico, estendendo-se pelas freguesias rurais com os Contos d’Ir Ò Fresco e desdobrando-se ainda em praças, recantos, lares e centros de dia. O Festival traz, pela boca dos contadores do mundo, palavras que nos falam dos outros lugares e outros sonhos, tantos quantos os narradores que contam nesta edição.