Procurando dar continuidade ao lugar cativo de jovens artistas em início de carreira, a Fundação Bienal de Arte de Cerveira (FBAC) vai inaugurar no sábado, 11 de novembro, às 16h00, duas exposições individuais dos artistas Ricardo de Campos (sala principal) e William Ramirez (galeria).

“Apropriação, Acumulação e Anulação” é o nome da mostra que Ricardo de Campos, natural e residente em Monção, apresenta ao público até 30 de dezembro, em parceria com a shairart.

“Aventurando-se num caminho em que somou ao desvirtuamento do suporte tradicional da obra de arte e à reutilização de objetos e materiais do quotidiano, Ricardo de Campos aposta na afirmação dos seus grandes formatos e na adoção de um figurativo de contorno, de vanguarda e de mensagem mais corrosiva”, explica a curadora da exposição, Helena Mendes Pereira. No total serão apresentadas mais de 100 peças, onde prevalece uma linguagem de apropriação das dimensões materiais e imateriais do contemporâneo.

Por sua vez, William Ramirez é um jovem artista plástico brasileiro que se dedica essencialmente à gravura e que tem participado em grandes eventos internacionais de arte, nomeadamente na “II Bienal Internacional de Gravura experimental na Roménia”. “Serigrafia – Retrospetiva e presente” é o nome dado ao conjunto de mais de 40 obras que o artista apresenta em Vila Nova de Cerveira, sendo “representativas da sua sensibilidade crítica sobre o mundo atual”, refere o coordenador artístico e de produção cultural da FBAC, Cabral Pinto.

No próximo sábado haverá ainda lugar para a sétima arte. No seguimento das inaugurações e no âmbito do Prémio Lux de Cinema Europeu, o filme “Pina” – finalista de 2011 – do reconhecido realizador Wim Winders, será exibido no Fórum Cultural de Cerveira. Esta iniciativa, organizada em parceria com a Fundação Bienal de Arte de Cerveira, enquadra-se num Fórum de Discussão Regional (FDR) organizado pelo Gabinete de Informação do Parlamento Europeu em Portugal, o Centro de Informação Europe Direct de Viana do Castelo e a Escola Superior de Tecnologia e Gestão do IPVC.

O Lux Film Prize é o prémio de cinema que o Parlamento Europeu criou em 2007 para promover a produção cinematográfica europeia, fomentando a distribuição de filmes europeus na UE e estimulando o debate em torno de temas atuais.

Local: Fórum Cultural de Cerveira | Avenida das Comunidades Portuguesas S/N 4920-275, Vila Nova de Cerveira

Horário: terça a sexta-feira: 15h00 às 19h00; sábados e feriados: 10h00 às 13h00; 15h00 às 19h00