“Eugene Onegin” estreia-se no Coliseu do Porto . Trata-se de uma ópera em três actos e seis cenas, com música de Piotr Ilitch Tchaikovsky com arranjo e orquestração de Kurt-Heinz Stolze, e libretto de John Cranko, baseado noromance em verso de Alexander Pushkin “Eugene Onegin”.

Sinopse:
Eugene Onegin, um nobre habituado ao luxo da corte imperial russa, herda de um tio distante uma propriedade rural. Diverte-se a caçar e com a simplicidade da pequena aristocracia local. Ali conhece Tatiana, uma jovem sonhadora que alimenta a alma sensível com a leitura de romances e poesia. Na sua ingénua pureza, a jovem não hesita em confessar seu amor por Onegin através de uma carta. Surpreso e invulnerável, ele diz-lhe com rude franqueza que não pode corresponder a tal amor.

Pouco tempo depois, ao matar num duelo o jovem poeta Lenski, noivo de Olga, irmã de Tatiana, o implacável Onegin parte para uma longa viagem. De volta a São Petersburgo, é convidado para um baile no palácio do príncipe Gremin. Ali o aguarda uma perturbadora surpresa: a elegante anfitriã, esposa de Gremin, é Tatiana. Fascinado, Onegin compreende seu erro, o que aprofunda ainda mais o vazio da sua vida. Dominado pela paixão, escreve uma carta a Tatiana, e ousa até entrar nos seus aposentos, implorando uma resposta. Embora ela confesse a Onegin que o seu amor adolescente não foi esquecido, ela diz-lhe, com firme determinação, que se tornou uma mulher e jamais encontraria ao seu lado respeito e felicidade. Ordenando-lhe que a deixe para sempre.