Desde 1999, diz o logotipo e a história dos Expensive Soul. Estamos em 2014 a caminho de 2015 e, fazendo as contas, já são mais de 15 anos de carreira. Tempo em que o duo de Leça da Palmeira soube pacientemente lançar os alicerces e cimentar uma carreira irrepreensível traduzida em 4 aclamados discos 1 DVD e milhares de concertos. Pacientemente porque não se iludiu com o sucesso retumbante de canções como “Eu Não Sei”, “Brilho”, “13 Mulheres”, “O Amor É Mágico” ou as mais recentes “Cupido”, “Que Saudade” ou “Só Limar”. Quinze anos em que souberam recusar ofertas para ocupar as salas rainhas de Lisboa e Porto.

Os Expensive Soul preferiram manter os pés bem assentes antes de anunciarem que é finalmente em 2015 que vão atuar nos Coliseus. Dia 18 de Abril em Lisboa e 2 de Maio no Porto.

E se há anos que Demo e New Max levam para a estrada espetáculos do mais alto nível com pelo menos 12 músicos em palco e cenografias simples mas eficazes, 6 meses é o que vão investir na conceção e produção dos concertos dos Coliseus. Já não surpreende. Tempo é algo que os Expensive Soul prezam e que têm agora, passada a azáfama do lançamento do 4º álbum “Sonhador”. Porque o que está a ser preparado vai, mais uma vez, encher a alma. A deles e a nossa.

Expensive Soul