A exposição “In and out Africa” inaugura a 7 de outubro, no Núcleo de Arte da Oliva, em S. João da Madeira, para apresentar quase uma centena de obras de arte bruta e outsider de artistas de origem africana, que integram a coleção Treger/Saint Silvestre.

A exposição tem como objetivo dar a conhecer a imensa riqueza e expressão de artistas africanos, afro-americanos, haitianos, brasileiros e cubanos, ao mesmo tempo que promove a discussão sobre questões raciais e de descriminação. António Saint Silvestre, colecionador e curador da exposição, selecionou pinturas, desenhos, esculturas, cerâmicas, instalações e filmes que vão estar em exposição até 7 de Abril de 2018.

A coleção Treger/ Saint Silvestre, que reúne mil obras de cerca de duzentos e cinquenta artistas, distingue-se sobretudo pelo importante núcleo de Arte Bruta, que pela sua dimensão e representatividade, é único na Península Ibérica e raro na Europa. As obras dos colecionadores são oriundas da Europa de Leste e Oeste – onde se incluem vários artistas portugueses, do continente americano, de África e também da Ásia. Este ano, a coleção Treger/ Saint Silvestre foi distinguida pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM) com o prémio Colecionador.

O termo Arte Bruta, cunhado por Jean Dubuffet em 1945, identifica a criação artística produzida por indivíduos externos ao mundo da arte, sendo sobretudo aplicado a pessoas com problemas de saúde mental, geralmente autodidactas.