image005

A 128ª criação do Teatro do Noroeste – Centro Dramático de Viana, “Anjo Branco”, é apresentada no próximo dia 18 de maio, a bordo do Navio Hospital Gil Eannes, museu flutuante acostado em Viana do Castelo.

O dramaturgo-médico Bernardo Santareno, escreveu a bordo do Navio Hospital Gil Eannes, em 1958, parte da sua obra-prima teatral “O Lugre” (1959). Tendo prestado serviço no Gil Eannes, construído pelos Estaleiros Navais de Viana do Castelo em 1955, Bernardo Santareno registou ali as anotações para conclusão da sua obra em prosa “Nos Mares do Fim do Mundo”.

Tendo como temática a pesca do bacalhau e a obra de Bernardo Santareno, o espetáculo “Anjo Branco” é uma criação comunitária encenada por Graeme Pulleyn e participação das oficinas de teatro regulares do projeto Comunidade do Teatro do Noroeste – CDV: ATIVAjúnior, ATIVAsénior e Enquanto Navegávamos, esta última composta por ex-trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, num total de mais de 50 participantes.

A criação “Anjo Branco” estará em cena no Navio Hospital Gil Eannes em Viana do Castelo, nos dias 22, 28 e 29 de maio.