Moda

Sara Sampaio e Cameron Russel dizem Não! a assédio sexual

Para mostrar que não é só na indústria cinematográfica que existe um constante abuso sexual às mulheres, a modelo norte-americana Cameron Russel abriu a sua conta de Instagram, apelando às jovens modelos que partilhem com o mundo os episódios de assédio ou abuso de que foram ou são alvo. Os relatos, que, em três dias, ultrapassaram os 70, são anónimos e querem apenas mostrar que há muitos casos e que é urgente punir os protagonistas.

Sara Sampaio, também ela, modelo internacional, já se mostrou solidária com a causa. A modelo da Victoria Secret recorreu ao Instagram para partilhar a iniciativa da colega norte-americana, não revelando, no entanto, se também ela foi vítima de algum abuso desde que é modelo.

“Estando na indústria há 10 anos, quero que todas as raparigas e rapazes saibam que podem e têm o direito de dizer não! E agora mais do que nunca estes comportamentos têm de ser denunciados. Quero que saibam que não estão sozinhos e que têm o direito de ser ouvidos. (…) Estou ao lado da Cameron Russel, isto tem de acabar! E só acaba quando começarmos a responsabilizar as pessoas pelas suas ações”, escreveu Sara para os seguidores.

Cameron admitiu também na sua página de Instagram que pretende acabar com os abusos na área em que trabalha, depois de uma grande amiga e também modelo lhe ter confessado que foi vítima de assédio, por parte de um fotógrafo reconhecido no meio, com apenas 15 anos.

A hashtag #MyJobShouldNotIncludeAbuse, que significa “o meu trabalho não deveria incluir abuso sexual”, foi criada por Cameron com o objetivo de mostrar ao mundo que o universo da Moda não é diferente do meio cinematográfico, envolto em polémica e choque depois de Ashley Judd, Gwyneth Paltrow e Angelina Jolie, entre outras atrizes, terem acusado o realizador Harvey Weinstein de assédio, agressão sexual e violação.