Off the record

José Fidalgo: o galã que recusa rótulos

MOV_9707

Aos 37 anos, o ator volta a prender os telespectadores agora como Manel em “Amor Maior” na SIC. Na ficção, José Fidalgo luta pela paixão a Clara, quando na vida real parece continuar solteiro, mas muito cobiçado.

A Norte, a pretexto de mais uma noite de Óscares no centro comercial Parque Nascente, o artista provou o peso da fama, sendo bastante assediado pelas fãs que não lhe perdoaram a ‘selfie’ da praxe. No intervalo, conversou com a Move Notícias, sem filtros ou manias de vedeta.

Sobre a fama (e proveito) de galã, Fidalgo reconhece que “qualquer profissional está sujeito a uma avaliação que pode chegar a um ponto perigoso ou delicado”, não se deslumbrando com os adjetivos.

Quando elogiado, considera “redundante” descrever-se. Além disso, “o que faço é tentar viver de acordo com os meus princípios e, se esses princípios vão de encontro ao que as pessoas dizem -‘és um homem bonito, elegante, és o galã das novelas porque fazes os papéis que se enquadram nesse perfil”-, tenho que agradecer”, assumiu.

Estar com a “família, ler, os amigos e sair um pouco deste espectro” são a base da estabilidade. Afinal, “faz bem, em qualquer profissão, não vivermos demasiado os objetivos profissionais. Darmos mais valor ao que nos rodeia fora deste mundo que é fascinante para mim”, é importante, confessou quem ainda tem muito para viver na ficção.

MOV_9292

As gravações de ‘Amor Maior’ só acabam em maio e continuam a todo o gás, sendo que o reflexo do empenho se sente na balança. Mais magro, José Fidalgo explicou: “Trabalho muito, estamos a trabalhar 12 horas por dia, mas também existe cuidado com a alimentação”.

A história de Carnaxide que protagoniza vai entrar numa segunda temporada e José Fidalgo acredita que “vai haver um volte-face, nomeadamente na contratura Lobo, Francisca, Clara e Manel”.

“Vão-se inverter um pouco os papéis em torno de um bem maior, o amor que existe e que continua entre o Manel e a Clara, esse amor é forte demais. E foi com esse objetivo que eu levei esta personagem: dar a conhecer às pessoas e ao espectador que vale a pena lutar por um amor. Faço votos para que eles fiquem juntos”, desejou quem ainda parece não ter acertado num romance eterno.

Não se sabe como anda o coração do ator ao nível de amores, um assunto que não alimenta, mantendo uma postura discreta nesse ponto.

MOV_9354

A moda foi o pontapé de saída para o mundo laboral, sendo que foi a apresentação do “Clube Disney” que o lançou na ‘caixinha mágica’., em 2002. No ano seguinte, José Fidalgo estreou-se nas novelas com “O Olhar da Serpente” e nunca mais parou, fazendo suspirar com personagens com índoles díspares e interpretações irrepreensíveis, mas sempre com um irresistível sex appeal.

Untitled-4

Foto: Move Noticias