Off the record

Alexandra Macedo: a mulher que lidera a maioridade da “agência do Norte”

FK1B3008

Reta e doce, a diretora da Best Models é a prova que ser perseverante é meio caminho andado para uma carreira de sucesso. No fim de semana, Alexandra Macedo comemorou a maioridade da agência, rodeada daqueles que a movem diariamente, e abriu o coração à Move Notícias, numa prova que, por detrás do negócio, há valores que superam quaisquer números.

Em ambiente de festa, no Eskada Porto, Xana, como é tratada pelos amigos, recorda como tudo começou, depois de anos a trabalhar, lado a lado com o marido, Nuno Eusébio, na produção e organização de desfiles, uma área em que ele se destaca no nosso país.

FK1B3097

E, foi mesmo o amor que a despertou para a moda e a fez abandonar o curso de Direito no terceiro ano, na Universidade Católica, sem nunca esquecer a paixão por História, o caminho que gostaria de ter seguido quando ainda estudante.

A década de 90 entrava na reta final quando a Best nasceu… “Nessa altura, surgiu a conjuntura ideal para abrirem mais agências do que aquelas que já existiam, ou seja, uma ou duas em Lisboa. Isto tanto é real que, no ano em que abrimos, abriram mais duas na capital, o crescimento do mercado de moda assim o exigia”, recua, orgulhosa pelo trajeto conquistado.

O empurrão terá sido dado por “Manuel Serrão ou alguém próximo dele”, mas certo é que “foi ele que me convidou para ficar como diretora. Na altura, eram vários sócios porque a Best é uma sociedade anónima, entretanto uns foram saindo outros entrando, mas a ideia pode-se atribuir ao Manuel Serrão que apesar de já não ser sócio, é uma pessoa por quem tenho um carinho muito grande”, acrescenta a anfitriã.

Pragmática, Alexandra assume que “não é fácil, há alturas muito boas, houve anos maravilhosos, mas há momentos mais difíceis e complicados, mas isso é como tudo, nada é perfeito”: “Valeu a pena… É ultrapassando obstáculos que crescemos também como pessoas e o balanço hoje é positivo. Mesmo as coisas menos boas que vivi, acho que fizeram de mim uma pessoa melhor, isso é um lado positivo que encontro nas dificuldades que foram surgindo”.

Afetuosa e sempre atenta ao valor humano, Xana lembra que quando se refere a “dificuldades e decepções” está “a falar de pessoas”. “O meu produto são pessoas, portanto esta gestão de relacionamentos e relações nem sempre é fácil. Acho que, neste momento, já estou um bocadinho imune, mas, até aprender a conseguir esta imunidade, foi muito complicado gerir certas deceções, umas mais fortes do que outras”, confessa.

Prevenindo desilusões, atualmente, “se calhar de uma forma mais fria, encaro isto muito mais como um negócio e já não me envolvo tanto pessoalmente”.

Alexandra Macedo olha para os manequins mais novos quase como uma mãe que deseja o melhor para os filhos (e ela tem dois: Carolina, de 24 anos, e Nuno, de 20), daí ter “um trabalho um bocadinho complicado”. Isso mesmo é notado quando a imagem de um modelo fica saturada em Portugal e sugere que tentem mercados lá fora.

“É difícil para eles perceberem que não é a agência que está a falhar, é o mercado que cansou daquela imagem, por isso sugerimos que viagem, mas há muitos que não querem. A culpa, direta ou indiretamente, acaba sempre por ser da agência e até eu perceber e criar na minha cabeça que não é pessoal, não é comigo, foi um processo longo”, explica a responsável, num equilíbrio entre o coração e a razão.

Fiel às raízes da forte herança duriense, Xana faz questão de manter a sede na Invicta, embora não seja “muito fácil ser a agência do Porto”. No entanto, “a Best existe fisicamente também em Lisboa, e é um orgulho para mim quando dizem a agência do Norte que tem há 18 anos uma mulher na direção”.

No currículo e nas livrarias, Alexandra Macedo partilha experiências e conhecimentos assinando os livros “Manequins, Agências & Companhia”, “De Corpo e Alma – O Livro da Super Mulher” “12 Passos para Seres Modelo”, este último também em formato e-book. Veja alguns momentos do 18º aniversário da Best Models Agency: