Off the record

Ana Bustorff: “Quero fazer coisas que me desafiem”

_MO_1448

Ana Bustorff dispensa apresentações. A atriz, de 56 anos, é uma das mais conceituadas da sua geração. Com incontáveis papéis no teatro, cinema e televisão, a artista regressou à cidade que a viu nascer, o Porto, no último fim de semana para subir pela primeira vez ao palco do teatro Rivoli na peça “Ícones do Desporto”.

“É engraçado, acho que nunca atuei no Rivoli, se a minha memória não me falha, e é sempre um prazer voltar à minha terra”, afirmou à Move Notícias. Apesar de não ser “adepta de nenhum clube de futebol”, Bustorff não esconde o prazer que lhe deu fazer parte deste projeto: “Fiquei muito contente por ter conhecido o Fernando Gomes, trabalhar com a Sara Graça e o Miguel Loureiro. Foi uma experiência absolutamente extraordinária, que me dá uma enorme alegria. Trabalhar para uma coisa pela qual estou apaixonada melhor ainda, como é o caso”.

A atriz, que nem pensou duas vezes quando lhe foi feito o convite, salientou ainda que nas artes “há espaço para tudo”, até para falar de futebol.

_MO_1454

Carreira de bióloga ficou para trás
Foi aos 17 anos que Ana Bustorff pisou pela primeira vez o palco, o que viria a ser uma mudança na sua vida. Chegou a estudar Biologia na universidade, mas preferiu seguir o caminho da representação. “Havia nisso um lado muito romântico, era para mim como o “África Minha”. Uma mulher partir para um continente estranho de mochila às costas a estudar todo o tipo de animais e depois encontrava o seu príncipe encantado”, confessou, acrescentando que deixar a biologia de lado não lhe traz “arrependimentos”.

Até porque considera o teatro como uma das suas “moradas”. “O palco sempre fez parte da minha vida. Só a partir do momento em que fui viver para Lisboa, aos 30 anos, é que comecei a fazer mais televisão, sempre com o teatro e o cinema muito presentes na minha cabeça, embora, qualquer arte seja nobre. Faço uma coisa que adoro e para a qual me pagam”, referiu, sem esconder que a representação a ajuda a crescer “enquanto pessoa”.

“Cada vez mais procuro um despojamento como atriz, em cinema, em televisão… Essa simplicidade que é única e verdadeira. A minha experiência ensina-me que sei pouco e que as coisas têm que ser feitas com muita alma e muita essência para tocarem os outros e nos tocarem a nós”, explicou.

Seja em que área for, Ana Bustorff só tem uma condição para aceitar um papel: “Quero fazer coisas que me desafiem”.

_MO_1442

Depois de “Ícones do Desporto”, vai regressar ao palco com a reposição da peça “Pocilga”. Além disso tem marcado um reencontro com o realizador João Canijo para um filme. O cineasta e Bustorff trabalharam juntos num dos trabalhos mais marcantes da carreira da artista, “Sapatos Pretos” (1998): “É um filme que jamais esquecerei. No cinema, foi sem dúvida o projeto que mais me marcou”.

Os telespetadores também a vão poder ver em breve no grande ecrã, após uma pequena participação em “Jardins Proibidos” da TVI, a atriz vai entrar “num episódio da nova série da RTP”, cujo nome ainda não foi revelado.

“A minha carreira é uma caminhada sem fim”, finalizou Ana Bustorff, que vive intensamente o “agora” e que promete continuar a partilhar o seu talento com o público.

Fotos: Move Notícias